mãos cansadas

 

MÃOS CANSADAS
© Ferdinando

Gritam dilúvios de mágoas no silêncio de um passado
nas rugas escritas pelo tempo nas tuas mãos de mãe!
És a postura de todos os olhares em palavras só de amor
ficadas na idade dos teus sonhos, feitos de primaveras
num folhar que a empáfia vida arrecadou para o final

Amaram e foram amadas, sofreram a aspereza da vida
moldaram a dor em riso no dizimar do seu lar afável
e em cada dia repartiam o pão na vida que ditaram...
foram mãos que moldaram essências de amor e ternura
afagaram rostos e limparam lágrimas, que as intempéries
num condenar sem clemência ditaram o seu crepúsculo!...

Hoje cansadas dizem mil palavras no silêncio desenhado
onde descansam, pedindo sossego e dignidade pelo que
foram e o que são na cortina de saudade onde habitam...
merecem todos os beijos e carícias, numa firmeza de palavras
num clamar moldando o seu brilho que fala de saudade!...

 Alemanha 08.03.07